Pré escola I

O Pré 1  recebe crianças completando 4 anos até 31 de março, que, nesta idade exploram os ambientes com muito mais segurança, correm mais do que andam, aumentam seu vocabulário e expressam-se com maior facilidade. Seu tempo de concentração aumenta, possibilitando que se detenham por um período um pouco maior nas atividades propostas para a faixa etária. Continuam utilizando a sala de apoio e as outras salas de atividades, os pátios, o parque, a piscina e a quadra.

A criança mostra-se alegre, curiosa, impulsiva, manhosa, birrenta e controladora. Seu humor é instável, podendo reagir de forma desproporcional aos acontecimentos - chora intensamente por algo irrelevante e dá gargalhadas diante de uma simples careta.

Mostra-se dependente nas atividades de vida diária e na resolução de dificuldades, mas também luta pela sua independência. Costuma recusar a ajuda do adulto e reluta para aceitar limites. É muito ciumenta e demonstra dificuldade em dividir a atenção, querendo ser atendida prontamente, e com exclusividade.

Os contatos entre as crianças são rápidos - ficam juntas, mas brincam por pouco tempo. Gostam de tocar, abraçar e beijar os colegas, mas ao mesmo tempo podem agredi-los, tomando seus objetos, batendo, chutando ou mordendo, com ou sem motivo aparente. Brigas e agressões físicas e verbais são freqüentes e nessas disputas, tanto tentam defender "seu" objeto como recorrem ao adulto.

Os jogos de imitação, os exercícios de "ginástica" com partes determinadas do corpo, as brincadeiras com bolas e de andar em diferentes superfícies, arrastar, engatinhar, pular, escalar e dançar, mas com estímulos e motivações modificados a cada proposição. São acrescentados os jogos de rapidez e agilidade e jogos com regras simples.

As brincadeiras coletivas e individuais são fundamentais para o desenvolvimento afetivo, cognitivo e psicomotor, além de permitirem a convivência social, quando contam com a participação ativa da criança.

O manuseio de materiais usuais e a exploração dos brinquedos e objetos da sala disponíveis em cores, tamanhos, pesos, texturas diferentes, incentivam o desenvolvimento da percepção e o desenvolvimento / aperfeiçoamento dos movimentos manuais de pinça, pressão, torção, desamarrar, desabotoar, desafivelar, encher, esvaziar, amassar, rasgar, empilhar, enfileirar, furar, enfiar, folhear, etc.

Brincando, a criança se prepara para atividades mentais complexas. Nos contatos com brinquedos e nas pesquisas de atividades combinadas, ela aprende a concentrar-se, a atingir um objetivo e adquire as primeiras noções de ordem e atenção.

As conversas informais, sobre temas de interesse e/ou sobre as vivências do grupo, motivam a criança a expressar-se verbalmente e ao mesmo tempo ser capaz de ouvir e ir integrando o que é dito ao contexto do grupo.

As poesias e histórias contadas, as dramatizações, as brincadeiras com fantoches, máscaras e fantasias, as aulas de música e outras atividades entram no mundo imaginário da criança e levam à expressão da fantasia e da imaginação.

As histórias têm temas e enredos variados, com personagens e situações reais ou imaginárias e são apresentadas de diversas formas, como por exemplo livros, slides, cartões, fantoches, fitas, filmes, teatro de sombras, cineminha, histórias desenhadas, histórias criadas pelas crianças, etc.

Os joguinhos de linguagem e de imitação, mímica, atividades a partir de gravuras grandes e coloridas e com sacos de surpresa, entre outras, contribuem, de forma lúdica, para que os objetivos nessa área sejam alcançados.

A rotina ainda é importante nesta idade, atendendo às necessidades básicas e contribuindo para a aquisição de hábitos de higiene e sociais, fundamentais para a vida da criança.

Tiram e vestem peças de roupa e já têm maturidade neurológica para iniciar o controle de esfíncteres e, com ajuda, começam a usar o vaso sanitário.

São capazes de alimentar-se praticamente sozinhas, sob a supervisão e incentivo do adulto. Usam colher e os copos já substituem devidamente as mamadeiras.

Podem adormecer de formas variadas, mas podem ainda usar chupetas, fraldas e "paninhos". Dormem em média uma hora e meia após o almoço, em caminhas individuais.

As refeições são balanceadas e os cardápios, elaborados e supervisionados pela nutricionista, são afixados nos quadros de avisos e agenda do aluno. O controle alimentar é feito através da agenda.

A conservação do ambiente, os cuidados na prevenção de doenças e distúrbios da alimentação, são fatores primordiais da saúde da criança, e responsabilidade de nossa pediatra, presente na creche escola. Os afastamentos por doença são necessários, como medida preventiva e protetora da saúde individual e coletiva.

Educação Infantil
topo